quarta-feira, 3 de junho de 2009

Jardim Zoológico recebe animais ameaçados de extinção

Cinco espécies ameaçadas de extinção foram trazidas da Fundação Rio Zoo (Zoológico do Rio de Janeiro) para o Jardim Zoológico de Salvador. A ação pretende fazer com que esses animais, típicos da fauna brasileira, reproduzam e possam ser encaminhados, por meio do Programa de Reintrodução, ao seu habitat natural. O programa é coordenado pelo grupo de manejo do Ibama.Os novos moradores do Zoo são um lobo guará (fêmea), uma anta (fêmea), uma coruja buraqueira (fêmea), um cervo do pantanal (fêmea) e um casal de macaco da noite.

Alguns desses animais já podem ser vistos em seus recintos e estão à espera do macho, que chegará em breve, para a reprodução. Outros ainda passam pelo período de observação, chamado de quarentena.“Nesse período, será realizada uma série de exames e o animal vai ficar em observação. Vamos verificar seu estado de saúde e só depois ele será colocado junto aos outros”, diz a veterinária, Marta Calazans.

A direção do Zoo adotou alguns cuidados para que os novos moradores se sintam “em casa”. Foi feito um levantamento do espaço onde o animal será colocado, observando alguns aspectos como: a qualidade do recinto, se existe lugar para caçar, para fazer o ninho, disponibilidade de chocadeira elétrica, alimentação adequada etc. “Esses e outros fatores checados para receber os animais com segurança e bem-estar”, explica o diretor do Zoo, Gerson Norberto.

Cuidados - O Programa de Reintrodução tem ajudado a reinserir o animal no seu habitat, onde a espécie foi extinta. As reintroduções, no entanto, somente obterão sucesso se as causas originais da extinção tiverem sido removidas ou puderem ser controladas. “Além disso, o habitat precisa apresentar todos as condições específicas necessárias”, garante o diretor do Zoo.

Ele lembra que, para a reinserção dar certo, é necessário levar em conta alguns aspectos e conhecer as necessidades biológicas do animal. “É bom saber a idade ideal, a proporção sexual ideal, estação do ano e técnicas de captura e transporte”, diz. Segundo ele, é interessante também livrar os bichos de doenças e parasitas, proporcionar aclimatação e ajudar os animais na aprendizagem de vários comportamentos, necessários à sua sobrevivência.
(Matéria e fotos publicada no site da SEMA , Agecom, Zoo e Diário Oficial)

video

Elena Martinez

3 comentários:

Fábio Vasconcelos disse...

boa matéria, baby! já tava na hora de postar né!!! rs

Hilton Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hilton Souza disse...

Ótimo texto!!!

Passa lá depois no meu tb, você já está entre meus links

www.hiltonsouza.com